sábado, 18 de maio de 2013

Uma nova geração: esquecer ou preservar o passado?

O mundo é um lar que acolhe todos nós, mas não é a casa de ninguém. Quando alguém atinge a maioridade é libertado ao sabor do vento para que outros, novos, possam ocupar o seu lugar.
Enquanto cá estamos, podemos optar por procurar aquilo que os nossos antecedentes nos deixaram e celebrar as suas memórias, ou ignorá-las completamente e viver apenas com o que de novo nos é oferecido. Eu penso que nós não devemos esquecer o que veio antes, temos, sim, que o preservar e de lá retirar o que de bom se fez.
De que serve virmos ao mundo sem deixar a nossa marca, sem fazer a diferença? Para quê começar sempre do zero quando podemos agarrar-nos e aprender uns com os outros? Cada geração tem as suas peculiaridades, a sua mentalidade, comete os seus erros e aprende a superá-los à sua maneira. É importante que todas estas vivências permaneçam para que não caiamos sempre nas mesmas falhas e possamos evoluir.
Para tal, temos, também, de nos preocupar em contribuir com aspetos positivos que possam ser úteis para os que se seguirem a nós e trabalhar para que sejamos lembrados um dia, mais tarde.
Embora a nossa espécie esteja em constante renovação, cada um que passou por este abrigo passageiro, sem exceção, é responsável pelo agora em que vivemos. Assim sendo, temos de lhes dar o devido destaque e relembrar as gerações anteriores, tirando delas experiências e lições de vida.
Deixemos todos um pouco de nós a este lar e façamos com que todos estes poucos se tornem num muito que ficará para sempre no agora e em todos os "agoras" que hão de vir.


 
 ♥♥
Sugeriram-me que partilhasse isto aqui, e cá está.
Apesar de com muito trabalho pela frente, vou aproveitar o fim de semana e os feriados (regionais) para descansar um pouco.
Olá de volta, meus queridos leitores, e bom fim de semana! :)

1 comentário: